Distritão, com todo o respeito, só no Afeganistão. Por Hayle Gadelha

Alguns dos nossos políticos têm como regra geral que, na política, é sempre possível piorar aquilo que já é muito ruim. Isso fica bem claro com a aprovação, na comissão da reforma política da…

O post Distritão, com todo o respeito, só no Afeganistão. Por Hayle Gadelha apareceu primeiro em TIJOLAÇO | “A política, sem polêmica, é a arma das elites.”.

Categorias Sem categoria

Laymert Garcia dos Santos: Basta!


“Não há mais o que esperar. É preciso reagir a partir de onde estamos, com as armas de que dispomos. É preciso fazer proliferar as iniciativas, mesmo que no plano micro, para afirmar que não aceitamos a investida criminosa contra o povo brasileiro e o próprio país”.

Por Laymert Garcia dos Santos*, na revista Brasileiros 

Categorias Sem categoria

Dallagnol concorda com devolução de passaporte à filha de Eduardo Cunha

Categoria: 

Justiça



Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – O procurador Deltan Dallagnol enviou um ofício ao juiz Sergio Moro infomando que não se opõe à devolução do passaporte de Danielle Dytz, a filha de Eduardo Cunha investigada por ser dependente de um cartão de crédito vinculado a conta secreta na Suíça.
 
O comunicado, também assinado pelos procuradores Diogo Castor de Mattos e Orlando Martello, foi enviado ao juiz de Curitiba no dia 3 de agosto.

leia mais

Categorias Sem categoria

Meirelles é um "funcionário de banco"

Por Lucas Rohan, no site Sul-21:

O senador Roberto Requião (PMDB) fez duras críticas à política econômica do Governo de Michel Temer chamando o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, de “funcionário de banco” e “vendedor de cartão de crédito” durante intervenção na terceira edição do ano do Fórum dos Grandes Debates com o tema “O Papel do Estado e o Desenvolvimento do País”, realizado na noite de quarta-feira (9) no Teatro Dante Barone da Assembleia Legislativa.

“Quem governa o Brasil hoje é o Bradesco e o Itaú”, disparou o senador paranaense, que chamou o projeto “Ponte para o Futuro”, apresentado pelo seu partido, de “proposta neoliberal”. “Não se pode servir ao povo e ao capital vadio”, argumentou o senador. Ele participou do evento ao lado do economista Márcio Pochmann e o médico e vice-presidente do PCdoB, Walter Sorrentino.

Requião disse ainda que episódios como a negativa da Câmara em aceitar a denúncia contra Temer estão transformando o Brasil em uma “piada” e defendeu a realização de eleições presidenciais seguidas de um referendo revogatório “de todas essas asneiras”, como o senador se referiu às reformas impulsionadas por Temer.

“O Michel nunca se preocupou com economia”, criticou, agregando que a saída para o desenvolvimento do país é fazer “exatamente o contrário” do que está sendo feito por Temer. “E esperem muito pouco do parlamento brasileiro”, completou.

Antes de Requião, o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Edegar Pretto (PT), também havia feito referência às reformas. “Eu tenho posição diante deste momento: sou contra as ditas reformas impostas por Temer. Ou se é a favor dos trabalhadores, ou contra eles”, disse.

Durante sua fala, o economista Márcio Pochmann disse que vê o atual momento como uma oportunidade “para mudar, de fato, o Brasil” e, após citar casos externos de países que aproveitaram momentos de instabilidade para fazer profundas transformações, defendeu que “a crise profunda do Brasil não será solucionada com saídas tradicionais”.

Categorias Sem categoria
Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com