Economia: Oito em cada dez brasileiros acreditam que pandemia terá efeito “devastador”

Nem vidas, nem a economia. A inação do governo Jair Bolsonaro (Sem partido), que já matou mais de 408 mil brasileiros, terá efeitos “devastadores” na economia para 78% das pessoas ouvidas em pesquisa realizada pelo Instituto Travessia para o jornal Valor Econômico.

O porcentual subiu 19 pontos desde março do ano passado, quando Bolsonaro classificou a Covid-19 como “gripezinha”, quando o termo “devastador” era usado por 59% da população para se referir aos efeitos da pandemia na economia.

A pesquisa, que ouviu cerca de mil pessoas entre os dias 15 e 16 de abril em todo o Brasil, reflete o momento pelo qual o país passou nos últimos meses, segundpo Renato Dorgan Filho, sócio do Instituto.

“As entrevistas foram feitas em meio à acentuada degradação do cenário. Foi nesse momento que o contágio explodiu e o total de mortes diárias provocado pela doença no Brasil saiu da casa dos 1,5 mil, que já era alto, para atingir picos de até 4,2 mil. Passamos a viver uma situação de colapso”.

Entre as maiores preocupações estão o “desemprego”, com 37% de citações, seguido da “falta de vacinas” (20%), “inflação” e “segurança”, com 16%. Foram listados ainda a “piora no atendimento dos pacientes da covid-19”, com 7%, e “crise política”, com 4%.

Segundo o estudo, 82% dos brasileiros afirmaram que tiveram a renda familiar prejudicada durante a pandemia. Mais da metade dos entrevistados (56%) teve seu emprego ou de algum parente comprometido nesse período.

Deixe um comentário

Receba nossas notícias pelo Telegram

Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto