Citado por Mandetta, Carlos Bolsonaro pode ser convocado à CPI do Genocídio

Senadores de oposição ao presidente Jair Bolsonaro pretendem convocar o vereador Carlos Bolsonaro para prestar depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga as omissões do governo do presidente Jair Bolsonaro diante da pandemia de Covid-19, a chamada CPI do Genocídio. O ex-ministro Henrique Mandetta afirmou nesta terça-feira (4) que o filho “02” do presidente Jair Bolsonaro participou de reuniões sobre a pandemia.

“Eu, por exemplo, testemunhei várias vezes reunião de ministros onde o filho do presidente que é vereador no Rio de Janeiro estava sentado atrás tomando as notas da reunião. Eles tinham constantemente reuniões com esses grupos dentro da Presidência”, disse.

A fala reforçou o pedido articulado pelos senadores Humberto Costa (PT-PE) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP) para convocar o filho do presidente, segundo informações da colunista Bela Megale, de O Globo.

O requerimento que pretende convocar Carlos e outros integrantes do chamado “gabinete do ódio” do bolsonarismo será votado na quarta-feira (5).

Nas redes sociais, o vereador reagiu às declarações de Mandetta. “Festival de mentiras. Circo boçal de narrativas. Se a lei valesse de verdade, um sujeito que se preza mentir descaradamente onde a lei diz que não deveria, sair preso desse local era o esperado em um país sério! Mas vivemos no Brasil onde tudo acontece ao contrário!”, tuitou, em seu estilo confuso.

Deixe um comentário

Receba nossas notícias pelo Telegram

Seja Companheiro, faça sua doação ao PT de Ribeirão Preto